De novo, o youtuber Eduardo Rezende da Silva, mais conhecido como Eduardo Razuk, está na mira das autoridades. Desta vez, é por causa de uma rifa de um Ford Mustang, modelo Black Shadow, que ele realizou por meio de redes sociais, recentemente, mas não entregou o veículo ao ganhador.

Razuk está sendo alvo de investigações uma vez que essas rifas são consideradas ilegais pelo Ministério da Economia. No caso dessa última rifa, o dono do canal “Backstage”, no YouTube, dizia que o veículo era dele, mas na verdade pertencia a outra pessoa e foi vendido a um terceiro antes da realização do sorteio, no último dia 5 de junho.

Em 2020, o youtuber – morador em Campo Grande (MS) – comprou o Mustang 0Km, na cor verde e com placas EDU-5I15 personalizadas. Entretanto, Razuk ficou poucotempo em posse do ‘carrão’, vendendo ao proprietário de uma loja multimarcas do interior do Paraná.

Já em 2021, voltou a postar vídeos com o carro, dizendo que tinha recomprado o veículo do mesmo lojista. Em seguida, anunciou que iria sortear o cupê entre seus seguidores. Para isso, pôs à venda 20 mil cotas de R$ 50 cada, totalizando R$ 1 milhão. De acordo com a Tabela Fipe, um cupê seminovo como o anunciado tem preço médio de 409,5 mil.

O problema, porém, é que Razuk nunca chegou a concluir a compra do carro que rifou. De acordo com o empresário e dono do veículo, que pediu anonimato, o acordo entre as duas partes era de que o youtuber ficaria um período com o Mustang para rifá-lo e, assim, pagar pelo veículo. Nesse meio tempo, alugaria o cupê.

“O Eduardo ficou cerca de 20 dias com o Mustang e não pagou o valor combinado dentro do prazo, alegando não ter o dinheiro naquele momento. Assim, peguei o carro de volta e coloquei-o à venda em uma concessionária Ford por consignação, com preço Fipe. Não teve subida no valor em momento algum”, diz o lojista.

Ele acrescenta que Razuk pagou R$ 20 mil, que seriam usados como sinal, porém cobriram o custo do aluguel quando o negócio foi desfeito. O empresário ainda afirma que todas essas condições constariam de contrato assinado pelas duas partes.

Quando a notícia de que o Black Shadow não estava mais com Razuk – inclusive já tinha sido vendido a outra pessoa -, o youtuber deu sua versão do ocorrido em vídeo publicado em seu canal no Youtube. Nele, admite só ter pago ao lojista um sinal e que assinou um contrato de aluguel, com a expectativa de posteriormente quitar o veículo com o dinheiro que pretendia arrecadar com a rifa.

Eduardo responde a processos administrativos instaurados pelo Ministério da Economia pela “realização de sorteio filantrópico sem autorização”. Suas rifas também são alvo de apurações da Polícia Civil, incluindo suspeita de estelionato.

O portal Estradas tem divulgados nos últimos anos, diversas matérias que comprovam as atitudes irresponsáveis do youtuber Razuk em vias públicas do país, na prática de rachas, entre outros crimes de trânsito.

Veja mais detalhes, clicando no link

Com informação do UOL Carros

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.